Mais do que nunca o PT precisa da juventude hoje. E não no amanhã.

No último domingo dia 27 encerrou o prazo da realização das etapas municipais do III Congresso da JPT. A direção nacional da juventude do partido dos trabalhadores noticiou, orgulhosa que mais de 15 mil jovens estavam participando em todo país . No Rio de janeiro, estado em que construo a juventude do partido dos Trabalhadores e sou candidata a secretaria, o que vi foi a uma profunda desmobilização, dos quase 17 mil aptos menos de 5% participaram de algum congresso em seu município.

A crise política em que o PT cada vez mais se insere tem reflexos profundos quando se faz o recorte  geracional. Boa parte dos nossos filiados jovens não se reconhecem, não se sentem representados pelo PT. Repito: São os nossos filiados, companheiros e companheiras que já em contato com a política, com o nosso partido fizeram a opção de não participar deste processo.

Diferente dos outros locais do país, no Rio de janeiro há alternativa a esquerda. Enquanto nossa legenda resolve seguir submissa e acrítica com o PMDB, O deputado estadual  mais votado aqui é do Psol e o  nosso deputado federal mais votado abandona nossa legenda num rompante. Sem  entrar nas falsas polêmicas sobre o porque de ambos casos, isso minimamente deveria ser objeto de reflexão do nosso partido. E não é. Seguimos reafirmando que nossa tarefa principal é fazer a defesa do nosso governo que cada vez mais se distancia das bandeiras, lutas e programas pelas quais levou a Dilma a vitória naquele segundo turno.

A juventude do PT no estado do Rio deveria estar debruçada sobre essas e muitas outras questões que a conjuntura apresenta. No entanto, estamos no meio de uma disputa burocrática e estéril em que práticas nada republicanas são recorrentes. Dos 42 congressos inscritos aqui no estado pelo menos um terço não existiu. O debate político em muitos espaços foi traduzido numa mesa posta e rápida feita apenas para se bater a foto. Isso é lastimável!

A disputa pela secretaria da juventude do pt deveria ser algo vivo, que nos fizesse refletir sobre a conjuntura regional e nos organizar internamente para esse momento histórico difícil que vivemos. As etapas municipais passaram muito longe deste propósito. Que a etapa estadual marcada para 17 e 18 de outubro sirva para o debate e para a construção de sínteses; Que sirva para melhorar nossa auto-organização e que o entendimento de que a  secretaria de juventude é um instrumento de atuação política e não um fim em si mesmo e na disputa seja central para a gestão que virá.

Mais do que nunca o PT precisa da juventude hoje. E não no amanhã.


Por: Ludmila Queiroz, militante e candidata à secretária da Juventude do PT no estado do Rio de Janeiro.
Mais do que nunca o PT precisa da juventude hoje. E não no amanhã. Mais do que nunca o PT precisa da juventude hoje. E não no amanhã. Reviewed by FORA DA ORDEM BRASIL on 12:31 Rating: 5

Nenhum comentário