Não Passarão!


A realização do III Congresso da JPT em meio à intensificação da luta de classe no país poderia posicionar a juventude petista como o setor mais avançado do partido e mobilizar o conjunto da militância partidária e das esquerdas em defesa da democracia e do programa eleito em 2014.

Essa compreensão exigiria a construção de um Congresso mobilizador que unificasse a JPT no enfrentamento ao golpismo, propusesse uma nova agenda e uma nova política econômica ao Governo Dilma, renovasse os organismos de base e as direções da juventude petista, e contribuísse para promover o diálogo da JPT com a juventude brasileira. 

Mas não tem sido essa a disposição da atual maioria, a direção da tendência Construindo um Novo Brasil (CNB). Já havíamos manifestado coletivamente a nossa avaliação crítica sobre o funcionamento da JPT e sobre a última gestão, sustentada por uma maioria que parece disposta a tudo para que a sua posição prevaleça: mudanças regimentais em pleno processo congressual, ausência de transparência, cerceamento do acesso às informações, rompimento de acordos, ameaças de cancelamento de congressos estaduais em que não são maioria, uso de recursos partidários em benefício de apenas um setor da juventude etc.

Ainda que as falhas no sistema de cadastro e divulgação de comissões organizadoras e congressos pudessem colocar em questão a lisura do congresso, este seria um problema facilmente contornado se houvesse disposição em garantir ao conjunto dos membros da Comissão Organizadora Nacional o pleno acesso às informações que chegavam no endereço eletrônico oficial da Comissão. Mas até hoje temos este acesso negado.

Portanto, aqueles não eram problemas localizados, tratava-se de uma ação orquestrada e diretamente relacionada com as mudanças regimentais propostas e aprovadas na Executiva Nacional da JPT, em reunião sem a garantia da presença de todos os membros da instância, e referendadas pela Executiva Nacional do PT.

Sem a necessária transparência e com inúmeras irregularidades, a legitimidade do processo fica fragilizada e o conjunto do PT fica impedido de dar um salto de qualidade em sua política de juventude. Este poderia ser realmente o maior congresso de juventude do Brasil, com capacidade de cumprir o papel de dialogar com a sociedade nesse momento tão crítico, mas não o será. 

Fica a questão: o que resta para nós diante de um processo tão viciado como este? Legitimá-lo? Não nos prestaremos a esse papel. Pelo contrário, viemos novamente a público agora para denunciar que está em curso um golpe no 3º Congresso Nacional da JPT. Não nos submeteremos aos desmandos de quem pretende se manter maioria ao custo de desconstituir a democracia interna do PT.

Na base do nosso Partido, jovens que constroem diariamente da Juventude do Partido dos Trabalhadores desejam uma JPT de lutas, militante, de massas e com autonomia, não uma instância burocrática que acumula em sua história métodos espúrios de renovação das direções. Mantidas todas essas práticas e o desrespeito às regras previamente acordadas, este 3º Congresso não terá legitimidade, dificultando imensamente a participação de quem deseja mudanças na JPT.

Convidamos toda a militância da JPT a repudiar conosco este golpe e lutar para que o PT conte com uma juventude que defenda a democracia em todos os espaços.

Assinam esta nota:
Articulação de Esquerda
Avante
Mensagem ao Partido
Militância Socialista
Não Passarão! Não Passarão! Reviewed by FORA DA ORDEM BRASIL on 12:42 Rating: 5

Nenhum comentário